História

Através de Angelina Baltar, tia de Irmã Angelita, são feitos os contatos entre Dom Moisés e as Irmãs Lourdinas. Em 17 de novembro de 1939, respondendo ao convite de Dom Moisés Coelho, as Irmãs Maria Inês e Maria Angelita vêm à Paraíba para os primeiros contatos com as autoridades. Feitos estes contatos, tem início entre as Irmãs de Nossa Senhora de Lourdes e autoridades Eclesiásticas e Civis paraibanas o projeto de fundação da escola para meninas.

O ano estabelecido para a fundação foi 1940 e o mês, março. Na manhã de sábado do dia 02 de março de 1940, no porto de Cabedelo, chegaram a bordo do navio Itaquera as Irmãs: Maria Evangelina, Maria Inês, Maria José, Ana Maria, Maria das Neves e Maria da Paz para a fundação do Colégio. O Pe. Carlos Coelho relatou com propriedade este acontecimento no seu discurso às concluintes do Ginásio de 1946:

“Naquela manhã de março de 1940, a Madre Maria Evangelina e suas companheiras Madre Inês e as Irmãs Ana Maria, Maria José, Maria das Neves e Maria da Paz Chegavam à Paraíba com o ardor e confiança dos fundadores, trazendo uma bandeira e uma esperança. Aquela meia dúzia de freiras vinha fundar em nossa cidade um colégio.
Na terra fecunda daquela residência improvisada da rua Mons. Walfredo Leal, as Irmãs lançaram a semente. E o trabalho começou. Ainda estou a ver em minha memória a salinha estreita onde, num altar portátil, rezei a primeira missa para aquele grupinho de Lourdinas, que naquele momento
de certo não tinha a consciência do histórico papel que vinham desempenhar na vida da Paraíba.”

(Jornal A IMPRENSA)

Ao chegarem à cidade de João Pessoa, as Irmãs foram acolhidas pelas famílias de Angelina Baltar e Noêmia Ribeiro que com muito carinho e solicitude tudo fizeram para que as religiosas sentissem  o calor e o acolhimento do povo Paraibano.

As atividades educativas tiveram início no dia 04 de março (segunda-feira) no prédio a rua Monsenhor Walfredo Leal, nº476. Tinham, então, 45 alunas, sendo 12 no jardim da Infância, 13 no 1º ano primário, 10 no 2º e 3º ano primário e 9 no 5º ano. Todavia, este número cresceu durante o decorrer do ano, já no fim do 1º semestre contava-se  80 alunas.
Ainda durante o ano de 1940, começa a construção do novo prédio num terreno doado pelo Governador Argemiro de Figueiredo, situado a Av. Epitácio Pessoa nº. 208, mais amplo e melhor estruturado para atender as necessidades das famílias paraibanas que já demonstravam total confiança na educação de qualidade das Lourdinas.

Um artigo do Jornal UNIÃO do dia 26 de agosto de 1941(terça-feira), nos relata a inauguração do novo prédio. O artigo tinha o seguinte título: INAUGURADO, DOMINGO, o novo prédio do Colégio Nossa Senhora de Lourdes.

“Realizou-se, domingo (24 de agosto), às 16 horas, a inauguração do novo edifício do Colégio de N. Srª. de Lourdes, que se acha instalado nesta capital, há mais de um ano, sob a direção das religiosas Lourdinas.
À cerimônia compareceram o Sr. Ascendino Leite, representante do Interventor Federal interino, prof. Joaquim Santiago, diretor do Departamento de Educação, membros do clero, famílias e alunas daquele estabelecimento de ensino.
Logo após a benção, oficiada pelo Pe. Carlos Coelho, em companhia das diretoras daquele Colégio, foram percorridas, pelos presentes, as diversas dependências do novo prédio que dispõe de amplas acomodações.”

O colégio funcionava em dois turnos( matutino e vespertino) e em regime de externato. Em 23 de dezembro de1943, sob a direção da Ir. Ana Maria o Ginásio obteve inspeção preliminar para funcionar como Ginásio. Em 31 de dezembro 1946,  com o decreto nº. 22396 do Esmo Sr. Presidente da República (Eurico Gaspar Dutra Clemente Mariani Bittencourt) foi concedido o reconhecimento ao curso ginasial. Neste sétimo ano da fundação, já bem fecunda em obras, a primeira turma conclui o Curso Ginasial. O colégio contava, neste período com um quantitativo de 462 alunas.
Com seu caráter dinâmico e empreendedor, Ir. Maria das Neves dá  continuidade a ampliação do Ginásio  em 1947, pois as classes já eram insuficientes para o conforto das alunas que buscavam o Ginásio em número cada vez mais crescente.  Inicia-se a construção de mais um  pavilhão com dois pavimentos na ala esquerda que só será concluído em 1951. No ano seguinte (1948) Irmã Maria das Neves solicita ao Diretor do Departamento Nacional de Ensino (Heraldo Lisboa da Cunha) nova inspeção para obter o funcionamento como Colégio (cursos clássico e científico). Devido à responsabilidade e cumprimento de todos os itens solicitados, o Ministério da Educação e Saúde com a portaria nº 110 de 24 de fevereiro de 1950 concede a autorização para o curso colegial. A partir desta data o Ginásio passa a se chamar COLÈGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES.
Podemos perceber neste breve histórico que o Colégio Nossa Senhora de Lourdes,durante as sete décadas de sua existência, tem se preocupado em oferecer uma educação de qualidade, num espaço confortável, priorizando os valores éticos, cristãos, morais e da boa educação.